DIVULGAÇÃO:

  • A livraria do Círculo estará brevemente disponível no endereço circulodograal.com

  • Visite a livraria e consulte a gama de livros disponível por categorias

  • Se necessitar de ajuda, entre em contacto pelo endereço: loja@circulodograal.com

  • Mensagem do Graal
    Mensagem do Graal

     

    Na Luz da Verdade

    Mensagem do Graal

    Autor: Abdruschin

    Livraria do Círculo

  • Os Dez Mandamentos
    Os Dez Mandamentos

     

    Os Dez Mandamentos

    e o Pai-Nosso

     Autor: Abdruschin

    Livraria do Círculo

  • O Filho do Homem
    O Filho do Homem

     

    O Filho do Homem na Terra

    Autor: Roberto C. P. Junior

    Livraria do Círculo

  • Jesus
    Jesus

      

     

    Jesus ensina as leis da Criação

    Autor: Roberto C. P. Junior

    Livraria do Círculo

  • O nascimento da Terra
    O nascimento da Terra

     

    O nascimento da Terra

    Autora: Roselis Von Sass

    Livraria do Círculo

  • Atlântida
    Atlântida

     

    Atlântida

    Princípio e fim da grande tragédia

    Autora: Roselis Von Sass

    Livraria do Círculo

  • Moisés
    Moisés

     

     

    A vida de Moisés

    Autor: Coleção O Mundo do Graal

    Livraria do Círculo

  • Buda
    Buda

     

     

    Buda

    Autor: Coleção O Mundo do Graal

    Livraria do Círculo

REFLEXÃO

Credo

Não vos apegueis exclusivamente a um credo em particular, de tal modo que não acrediteis em tudo o resto; de outro modo, perdereis muita coisa boa, ou, mais do que isso, não conseguireis reconhecer a verdade real da questão. Deus, o omnipresente e omnipotente, não é limitado por nenhum credo único.

Ibn al Arabi

filósofo

 

Reflexão sobre o Pensar

Pense por si próprio

Do que você precisa, acima de tudo, é de não se lembrar do que eu lhe disse; nunca pense por mim, pense sempre por você; fique certo de que mais valem todos os erros se forem cometidos segundo o que pensou e decidiu do que todos os acertos, se eles foram meus, não são seus.

Se o Criador o tivesse querido juntar muito a mim não teríamos talvez dois corpos distintos ou duas cabeças também distintas. Os meus conselhos devem servir para que você se lhes oponha.

É possível que depois da oposição, venha a pensar o mesmo que eu; mas, nessa altura, já o pensamento lhe pertence. São meus discípulos, se alguns tenho, os que estão contra mim, porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lhes: a de não se conformarem.

Desmistificar o pensar

Quem supõe que os que pensam, que os que procuram dilucidar um Universo que se lhes apresenta confuso são, como se costuma dizer, frios, puramente objetivos, académicos no mau sentido, completamente se engana: quem pensa como se deve é tão ardente, tão apaixonado, tão vivamente entregue a um impulso como um mouro em razia; e nessas razias de vez em quando se matam inocentes ou se destrói o que se não devia destruir.

Por outro lado, porém, pensar não tem mais transcendência em si próprio do que arrumar uma casa: trata-se de pôr em ordem, de organizar um meio em que nos possamos mover, o que não significa que o queiramos fixo para sempre, como nenhuma dona de casa supõe que a limpeza se fará para todo o sempre; e se as mais comodistas o quereriam, as melhores morreriam do desgosto de não poder dar outro jeito à casa; mas o que se quer dizer é o seguinte: que, se o início de limpar e de arrumar é um impulso, o método de limpar e arrumar é cumprido com a tal objectividade e a tal frieza de que se acusam pensadores e sábios.

Mas também não é menos verdade que a paixão primeira pode levar a jogar para o lixo o que deveria ser aproveitado. E quase diria o seguinte: o pensador é bom na medida em que a audácia das suas explorações o leva a cada passo à beira da heterodoxia.

Leia, ouça, veja, mas, sobretudo, pense

Se grandes invenções ou descobertas, como o fogo, a roda ou a alavanca, se fizeram antes que o homem fosse, historicamente, capaz de escrever, também se põe como fora de dúvida que mais rapidamente se avançou quando foi possível fixar inteligência em escrita, quando o saber se pôde transmitir com maior fidelidade do que oralmente, quando biblioteca, em qualquer forma, foi testamento do passado e base de arranque para o futuro. A livro se veio juntar arquivo, para o que mais ligeiro; e fora de bibliotecas ou arquivos ficaram os milhões de páginas de discorrer ou emoção humana que mais ligeiras pareceram ainda, ou menos duradouras. Escrevendo ou lendo nos unimos para além do tempo e do espaço, e os limitados braços se põem a abraçar o mundo; a riqueza de outros nos enriquece a nós. Leia.

Milhões de homens, porém, no mundo atual estão incapacitados de escrever e de ler, muito menos porque faltam métodos e meios do que incitamento que os levante acima do seu tão difícil quotidiano e vontade de quem mais pode de que seus reais irmãos mais dependam de si próprios do que de exteriores e quase sempre enganadoras salvações. Mais se comunica falando do que de qualquer outra forma; o que nos dizem muitas vezes nos parece de nenhuma importância, mas talvez tenha havido uma falha na atitude de escutar do que no conteúdo do que se disse; porventura a palavra-chave estava aí, mas estávamos distraídos, ou ansiosos por nós próprios falarmos; e no vento fugiu, a outros ouvidos ou a nenhuns. Ouça.

No tempo em que a antropologia ainda julgava que o homem ainda descendia do macaco notou-se, para os distinguir, que um, mesmo no estádio mais primitivo, desenhava; o outro, mesmo que antropóide superior, nem olhava o desenho. Imagem nos veio acompanhando pela História fora, desde as pinturas ou gravuras rupestres, cujo verdadeiro significado ainda está por encontrar, até cinema ou televisão, sobre cujo significado igualmente muitas vezes nos podemos interrogar e que se tem de arrancar o mais depressa possível ao domínio do lucro, da publicidade ou das propagandas ideológicas para que possam cumprir, como nas formas mais antigas, a sua missão de iluminar, inspirar e consagrar o mundo. Imagem o cerca. Veja.

Mas o que vê e ouve ou lê nada mais lhe traz senão matéria-prima de pensamento, já livre de muita impureza de minério bruto, porquanto antes do seu outros pensamentos o pensaram; mas, por o pensarem, alguma outra impureza lhe terão juntado. Nunca se precipite, pois, a aderir; não se deixe levar por nenhum sentimento, exceto o do amor de entender, de ver o mais possível claro dentro e fora de si; critique tudo o que receba e não deixe que nada se deposite no seu espírito senão pela peneira da crítica, pelo critério da coerência, pela concordância dos factos; acredite fundamentalmente na dúvida construtiva e daí parta para certezas que nunca deixe de ver como provisórias, exceto uma, a de que é capaz de compreender tudo o que for compreensível; ao resto porá de lado até que o seja, até que se possa pôr nos pratos da sua balancinha de razão. A tudo pese. Pense.

Ousar pensar pela própria cabeça

Mas não há vida sem perigo; e a verdade é que os que não ousam pensar pela própria cabeça caem em grande parte das vezes vítimas da moda e garantem, contra ou a favor, aquele pensamento que daí a um instante nem mesmo será lembrado; coisa que, por exemplo, muito acontece com aqueles filósofos que chegarem à filosofia através da literatura, ou melhor, através de terem falhado na literatura, e julgam ser a filosofia o campo mais adequado para os seus arremessos de subliteratos: o último livro bem célebre é o seu livro de cabeceira; e consomem quase sempre todo o pouco esforço intelectual de que ainda são capazes tentando adaptar a verdades eternas brilhantes mentiras momentâneas.

Efetivamente, para os que avançam ou tentam avançar pelos caminhos da ciência, o risco de não prosseguir é muito grande: porque se trata de inteligências que em geral se detêm perante a aritmética elementar; embora, para os que se meteram à filosofia pela ciência, haja sempre o risco de julgarem que a filosofia é tão fácil quanto a ciência e de caírem naqueles positivismos infantis e também muito fáceis que tanto mal têm feito ao mundo.

Ω

Não julgues que pensas melhor do que todos os que te precederam: o mais provável é que penses pior; principalmente quando tudo te parece mais certo.

Ω

Nada conseguiste pensar de válido se, ao fim de pensares, te não convenceste de que pouco pensas.

Ω

Só pensar não é uma ilusão; logo, porém, se lhe procuro o sujeito, me entro em ilusório.

Ω

O pensador lança-se à tarefa de desembaraçar o enrolado novelo que o mundo lhe apresenta, mostrando como todo o fio não é mais do que a ligação entre dois extremos, o da eternidade e o do tempo, o da substância e o do acidente, o de Deus e o do homem. E neste trabalho de desenrolar o novelo se lhe vai a vida.

Ω

 

Pensar

Pense pouco porque assim

Com a cabeça vazia

Receberá pensamento

Que alhures se albergaria.

 

Primeiro há um pensamento

Que pensa sem pensador

E logo pensa quem pensa

Que pensa tudo ao redor.

 

Quem a si de pensador

Se domina nem sente

Que pensando se é que pensa

Faz o que faz toda a gente

 

Agostinho da Silva

_________________________________________________________________________________________________________

LIVROS

  • JUIZO.jpg
  • ALICERCES.gif
  • JESUS.gif
  • mensagem.gif
  • nina_dompi.jpg
  • CASSANDRA.jpg
  • ZOROASTER.gif
  • BABILONIA.gif
  • NTERRA.gif
  • ESPIANDO.jpg
  • MADALENA.gif
  • PIRAMIDE.gif
  • APOSTOLOS.gif
  • REFLEXOES.gif
  • INCAS.jpg
  • ATLANTIDA.jpg
  • NA_LUZ_VERDADE_COLECAO2.png
  • lao.gif
  • FILHOHOMEM.jpg
  • AFRICA.gif

NOTÍCIA

Passar tempo com a família...

Passar tempo com a família e felicidade dos filhos são as preocupações dos portugueses nas férias. Este verão, mais de 78% dos pais portugueses planeia tirar férias em família, sendo que 73,1% vão privilegiar Portugal como destino de descanso. A HomeAway, líder mundial no arrendamento de alojamentos para férias, em parceria com o Institut des Mamans, especializado na investigação sobre a Família, acaba de revelar os resultados de um estudo sobre o comportamento dos pais portugueses no planeamento das férias do verão 2017.

leia esta e outras notícias em lifestyle...

NOVO ARTIGO

A cultura da cobiça

A cultura da cobiça pelo poder tem estado presente ao longo da história da humanidade, mas foi após a invenção do dinheiro que ela adquiriu contornos desesperadores. Os países que são geridos desatentamente, com população indolente, mais cedo ou mais tarde acabam caindo nas garras dos oportunistas que vivem de tirar proveito das fraquezas alheias para ampliar seu poder e influência. O desequilibro é a nota dominante da economia global. Quem pode esperneia, outros se corrompem por dinheiro e se acomodam, permitindo que a decadência não tarde.

Ler mais...